You are currently browsing Louise Cardeal’s articles.

Depois de muitas descobertas, pesquisas que pareciam me levar a mundos extraordinários, comentários muito legais a respeito de tudo que postei, discussões, críticas super construtivas sobre o  que foi postado, venho aqui no Tabaréu; Blog que me salvou da minhas semanas mais inúteis, agradecer muito por tudo que aprendi  e que com toda certeza foi uma ponte para auxiliar no conhecimento que adquiri e que me levará a outras tantas parcerias culturais como essa daqui.

O que mais eu posso dizer? Ah! Que foi muito bom estar com vocês aqui! Queria agradecer a Rafael, que me deixou dar várias opiniões sobre tudo que se referia ao blog  e por ter me convidado pra me juntar nessa página. Muito obrigada mesmo.Hoje, me despeço  com a certeza de que tudo que fiz aqui foi passar um pouco de mim e da minha experiência cultural e intelectual pra vocês e vi que fui recompensadíssima!

Estou me mudando para um blog novo, por enquanto só meu. Mas também está aberto a amigos que queiram compartilhar idéias.  Garanto que muitas coisas mais que interessantes  estarão lá  a espera de todos!”Serão Vivos e bem vindos” !!

Meu novo blog  é http//: ajanelinha.blogspot.com

Vou-me embora deixando um trecho de uma música que tem dito muita coisa pra mim e tem tudo a ver com esse clima de despedida. (Sim, eu sempre fui dramática desse jeito!)

“Acalma essa tormenta e se agüenta
Que eu vou pro meu lugar.
É bom às vezes se perder,
Sem ter por que, sem ter razão
É um dom saber envaidecer
Por si
Saber mudar de tom…”
 

(Adeus você, Los Hermanos) 

 Viagem

Li esse livro quanto tinha doze anos. Naquela época eu já tinha sim uma visão formada sobre leitura, mas só hoje entendo como foi importante ter lido. Mais uma autobiografia!

Valeria

Valéria Piassa Polizzi, jovem de classe média alta de 16 anos que, depois de uma viagem com seu avô(daí o nome do livro) conheçe um “carinha” que mais tarde se torna seu namorado e não mais tão tarde assim, tira a sua virgindade e põe no lugar o vírus da AIDS. Aí vem todo o problema, medos, angústias, decepções e o mais incrível: Uma vontade imensa de viver. E, sem contar que estamos falando da década de 80, onde a doença ainda era novidade e não existia um tratamento adequado, mesmo sendo de família rica, como era o caso dela.

Valéria viaja, vai pro exterior, conhece outras pessoas e a história se desenvolve numa linguagem extraordinariamente rica de informações e pensamentos jovens, que prendem o leitor até a última letra.

O livro foi publicado em 1997, numa data próxima ao Dia Mundial de Luta contra a AIDS.Coincidência bem feliz, por sinal. Depois do livro, Valéria já foi colounista em uma revista para adolescentes e escreveu outros dois livros: “Papo de garota” e “Enquanto estamos crescendo”.

A história dela, parecida com tantas outras que conhecemos por aí, se torna única por ser contada de uma forma tão bem-humorada e por que não dizer: “Cor-de rosa”?

Mais do que um incentivo a vida, um manual de sobrevivência!Pra quem nunca leu; não perca tempo, pra quem já leu; leia novamente!

Feliz Ano Velho

Pra quem nunca o leu, o título soa meio estranho, mas o livro de Marcelo Rubens Paiva é uma das obras literárias mais interessantes que eu já li.

É uma autobiografia onde Marcelo,que cursava Engenharia Agrícola na UNICAMP e tinha seus vinte e poucos anos, descreve sua vida após um pulo “mal dado” num lago que só tinha meio metro de profundidade.Daí ele segue, numa linguagem totalmente jovem e bem humorada, contando as novas experiências em sua vida depois do acidente ( e as velhas também!).

Marcelo rubens Paiva também é autor dos livros: “Malú de bicicleta” ,”Blecaute” e de uma peça teatral também muito interessante chamada: “E aí? Comeu?” que é basicamente quatro homens discutindo o universo feminino.

Atualmente, Paiva escreve peças e luta contra a falta de acessibilidade para deficientes físicos, pois ficou tetraplégico na época e hoje já recuperou o movimento das mãos. Gírias, relacionamentos, sexo, amizade, e até mesmo religião são descritos por Marcelo em seu livro.
Muito mais que interessante, é uma éspecie de auto-ajuda sem intenção!

Quem quiser saber mais sobre o Marcelo Rubens Paiva e suas obras, ele tem um blog à disposição!

http://gmrp.blogspot.com/

 naoveraspaisnenhum1.jpg

Você já imaginou como será o futuro?A escassez de todas as coisas que achamos essenciais e que definitivamente não exitiria vida sem elas? É nesse ritmo futurista que encontramos essa obra de Ignácio de Loyola Brandão: “Não verás país nenhum”.

Nome sugestivo não?!Ele deve-se ao fato que no futuro, aos olhos de Brandão, não haverá mais países e sim distritos em que as pessoas precisarão de uma especie de “visto de permanência” para garantir sua estadia. O mais incrível nesse livro é que ele foi escrito em 1981 e muita coisa nele, que parecia ser anormal nequela época, é assustadoramente natural aos nossos olhos.Mais ainda sim há muita coisa no livro que nos faz pensar no quão terrível pode ser o nosso fim. Imaginem só:

Não existiria mais água e as pessoas consumiriam urina reciclada;

A amazônia passaria a se chamar “Desertão amazônico”;

Muitas pessoas mutiladas pelas ruas devido ao uso de desodorantes com aerosol;

E o Nordeste?!Impossível viver lá, uma vez que o sol derreteria qualquer ser que o atravessase. O mais incrível nisso tudo nem é a criatividade ficcionista do autor, mas como ele conseguiu pensar numa coisa dessas na década de 80! Imaginem só! Nem um contemporâneo chegaria a tanto…

Emfim, o livro é fantástico e vale muito a pena dar um lida, mesmo que seja pra se amedrontar um pouco e fechar a torneira quando estiver escovando os dentes.

Fiquei muito feliz com o convite do Rafa pra postar no Tabaréu.
Como o blog era só dele(e agora meu e dele!)eu tinha que assumir um nome a altura: Tabaroa! A forma feminina do tabaréu, que agora está com novas idéias.
Melhor pra ele e pra mim também, que estava precisando organizar meus pensamentos e compartilhá-los com vocês.Sempre achei esse blog muito rico em idéias e informação e não vai ser diferente comigo. A cada informação nova e de interesse mútuo que eu encontrar dividirei com vocês e creio que serei retribuida com comentários a respeito do que foi postado.
Opinião será a palavra-chave e tenho certeza que ela será discutida várias vezes aqui!
Muito obrigada Rafael! Agora sim! União perfeita!(rsrs)