Arte Pura! Poesia, teatro, verso, prosa, musica e circo seriam apenas palavras soltas, sem nenhum significado como frase se não fosse a existência de um grupo chamado Teatro Mágico.

Uma Trupe (gostam de ser chamados assim) que prega a divulgação da arte em sua essência.

A banda explora muito a idéia do circo em sua apresentações, e isso possibilita demonstrações de inúmeras artes no decorrer do evento.

Ver o Teatro ao vivo realmente é algo mágico, pois o publico realmente participa do evento, comparecendo pintados como integrantes de circo e assim formando uma bela sinergia entre platéia e a trupe.

Como eles mesmo dizem “Os opostos se distraem e os dispostos se atraem”

Inclusive com a postagem de vários videos pelos seus fãs, alguns bastante interessante.

As apresentações do Teatro Mágico seguem a risca o que é dito por seu idealizador (Fernando Anitelli) onde “…não é realmente um show e sim uma desculpa esfarrapada para uma porção de gente rara se encontrar e tornar esse momento digno para compartilhar idéias, debater…” Realmente Fernando, o Teatro faz isso muito bem.

Segue abaixo a sua entrevista falando sobre o Teatro Mágico.

As suas musicas são primorosas. Ana e o mar mostra de uma forma singela o amor quase impossivel acontecer de uma maneira nunca vista, onde o mar se apaixona por uma garota e presenteia sua amada com “…as conchas mais belas…” e fica enormemente contente quando a sua querida adentra em seus domínios.

Grande pericia com a manipulação das palavras é bem demonstrada na musica Separô, onde essa palavra toma a inúmeros significados somente vistos no nordeste brasileiro.

Gostou da Banda? Pode acessar seu site e baixar TODAS suas musicas.

Por fim deixo vocês com um dos inumeros videos do Teatro Mágico no Youtube.

Continue lendo »

 Viagem

Li esse livro quanto tinha doze anos. Naquela época eu já tinha sim uma visão formada sobre leitura, mas só hoje entendo como foi importante ter lido. Mais uma autobiografia!

Valeria

Valéria Piassa Polizzi, jovem de classe média alta de 16 anos que, depois de uma viagem com seu avô(daí o nome do livro) conheçe um “carinha” que mais tarde se torna seu namorado e não mais tão tarde assim, tira a sua virgindade e põe no lugar o vírus da AIDS. Aí vem todo o problema, medos, angústias, decepções e o mais incrível: Uma vontade imensa de viver. E, sem contar que estamos falando da década de 80, onde a doença ainda era novidade e não existia um tratamento adequado, mesmo sendo de família rica, como era o caso dela.

Valéria viaja, vai pro exterior, conhece outras pessoas e a história se desenvolve numa linguagem extraordinariamente rica de informações e pensamentos jovens, que prendem o leitor até a última letra.

O livro foi publicado em 1997, numa data próxima ao Dia Mundial de Luta contra a AIDS.Coincidência bem feliz, por sinal. Depois do livro, Valéria já foi colounista em uma revista para adolescentes e escreveu outros dois livros: “Papo de garota” e “Enquanto estamos crescendo”.

A história dela, parecida com tantas outras que conhecemos por aí, se torna única por ser contada de uma forma tão bem-humorada e por que não dizer: “Cor-de rosa”?

Mais do que um incentivo a vida, um manual de sobrevivência!Pra quem nunca leu; não perca tempo, pra quem já leu; leia novamente!

 Buraco na Camada de ozonio

A idéia que a camada de ozônio poderia acabar era bastante presente na mente de todos, mas sempre tínhamos uma esperança com a falta do petróleo, que assim criasse uma consciência na reutilização de fontes de energia limpa, mas o homem se supera outra vez e mostra a possibilidade de reproduzir o combustível fóssil.

O que falo é criar mesmo, pois uma empresa afirma que através de bacterias geneticamente modificadas, pode produzir hidrocarbonetos e por sua vez até mesmo criar gasolina com esse material criado.

Então… com a “reutilização” da gasolina podemos afirmar que nosso atual problema parece não ter fim.

Basta agora aprendermos da outra forma, mais cruel.

Feliz Ano Velho

Pra quem nunca o leu, o título soa meio estranho, mas o livro de Marcelo Rubens Paiva é uma das obras literárias mais interessantes que eu já li.

É uma autobiografia onde Marcelo,que cursava Engenharia Agrícola na UNICAMP e tinha seus vinte e poucos anos, descreve sua vida após um pulo “mal dado” num lago que só tinha meio metro de profundidade.Daí ele segue, numa linguagem totalmente jovem e bem humorada, contando as novas experiências em sua vida depois do acidente ( e as velhas também!).

Marcelo rubens Paiva também é autor dos livros: “Malú de bicicleta” ,”Blecaute” e de uma peça teatral também muito interessante chamada: “E aí? Comeu?” que é basicamente quatro homens discutindo o universo feminino.

Atualmente, Paiva escreve peças e luta contra a falta de acessibilidade para deficientes físicos, pois ficou tetraplégico na época e hoje já recuperou o movimento das mãos. Gírias, relacionamentos, sexo, amizade, e até mesmo religião são descritos por Marcelo em seu livro.
Muito mais que interessante, é uma éspecie de auto-ajuda sem intenção!

Quem quiser saber mais sobre o Marcelo Rubens Paiva e suas obras, ele tem um blog à disposição!

http://gmrp.blogspot.com/

 naoveraspaisnenhum1.jpg

Você já imaginou como será o futuro?A escassez de todas as coisas que achamos essenciais e que definitivamente não exitiria vida sem elas? É nesse ritmo futurista que encontramos essa obra de Ignácio de Loyola Brandão: “Não verás país nenhum”.

Nome sugestivo não?!Ele deve-se ao fato que no futuro, aos olhos de Brandão, não haverá mais países e sim distritos em que as pessoas precisarão de uma especie de “visto de permanência” para garantir sua estadia. O mais incrível nesse livro é que ele foi escrito em 1981 e muita coisa nele, que parecia ser anormal nequela época, é assustadoramente natural aos nossos olhos.Mais ainda sim há muita coisa no livro que nos faz pensar no quão terrível pode ser o nosso fim. Imaginem só:

Não existiria mais água e as pessoas consumiriam urina reciclada;

A amazônia passaria a se chamar “Desertão amazônico”;

Muitas pessoas mutiladas pelas ruas devido ao uso de desodorantes com aerosol;

E o Nordeste?!Impossível viver lá, uma vez que o sol derreteria qualquer ser que o atravessase. O mais incrível nisso tudo nem é a criatividade ficcionista do autor, mas como ele conseguiu pensar numa coisa dessas na década de 80! Imaginem só! Nem um contemporâneo chegaria a tanto…

Emfim, o livro é fantástico e vale muito a pena dar um lida, mesmo que seja pra se amedrontar um pouco e fechar a torneira quando estiver escovando os dentes.

 Sol

Em uma proposta interessante alguns amigos da Blogsfera (Slonik e Dcaborno.) resolveram solucionar alguns mistérios… Algumas perguntas que nos fazemos as vezes (mesmo que algumas delas sejam pura besteira).

Eu resolvi responder sobre a temperatura do Sol.

Já que tanto reclamo do sol quente na cabeça nesse caminho tortuoso.

Pelo que me lembro em minha aulas do ensino médio esse temperatura é usualmente exibida em Kelvin (O porquê eu não sei… Cabe a outra pessoa responder isso. Valeu Daniel).

O Sol como estrela G2 Comun (sim comun), chegando a aproximadamente 5800K (Kelvin) em sua superfície e até 15.000.000 K em seu núcleo.

Para se ter uma idéia o gelo derrete a 273 K e a agua ferve a 373K.

Então… agora que sei o quanto o sol é quente posso continuar minha caminhada sob ele.

Fiquei muito feliz com o convite do Rafa pra postar no Tabaréu.
Como o blog era só dele(e agora meu e dele!)eu tinha que assumir um nome a altura: Tabaroa! A forma feminina do tabaréu, que agora está com novas idéias.
Melhor pra ele e pra mim também, que estava precisando organizar meus pensamentos e compartilhá-los com vocês.Sempre achei esse blog muito rico em idéias e informação e não vai ser diferente comigo. A cada informação nova e de interesse mútuo que eu encontrar dividirei com vocês e creio que serei retribuida com comentários a respeito do que foi postado.
Opinião será a palavra-chave e tenho certeza que ela será discutida várias vezes aqui!
Muito obrigada Rafael! Agora sim! União perfeita!(rsrs)

Tribunal Surdo - Violins

Eu comecei a ouvir o Violins a partir do Aurora Prisma, depois o Grandes Infiéis e agora o Tribunal Surdo.

Não sei se foi pensado, mas essa linha foi seguida da seguinte forma. O Aurora Prisma é apenas a inicialização do Violins para o publico brasileiro, depois o Grandes infiéis uma preparação para o que viria e então o Tribunal Surdo um grande soco na realidade que estamos acostumados.

Como é dito em Deliquente Belos (Primeira musica do cd) “Se cada um é um assassino sem coração, esperando pra rir, dentro de um camburão com sangue nas mãos” Sim… no albúm o mundo é bem cinza, assim como nos quadrinhos de Frank Miller.

Algo como tudo que é visto e sufocado por informações inutéis e eventos pseudo-educativos que no fim das contas é apenas mais um “tapa buraco”.

Na musica Campeão mundial de bater carteira faz uma critica forte ao jeitinho brasileiro “Todos te aplaudem quando a habilidade reina e em um golpe tão certeiro o professor leva a carteira…”

No Cd a critica está sempre implícita. Nada que você pare para ouvir e já veja um protesto estampado. Ouvir e entender Violins requer uma reflexão profunda de sua letra e pensamentos.

Tentar definir esse cd do Violins seria complicado, mas muito dizem que a banda é indie. O que apenas acho que seria o estilo da atitude da banda e não de seu estilo musical em sí.

Curioso pra conhecer a banda? Então, ouça as musicas do Violins baixadas de seu proprio site. E compre na monstro discos o CD Tribunal Surdo por apenas R$ 18,00.

PS: Com a “pausa” do Los Hermanos o Violins está sendo melhor que por encomenda.

As vezes nos erramos, as vezes continuamos a fazer isso e assim sempre faremos até alguém nós abrir os olhos. Então, em conversa com a minha amiga, pude perceber que nada tinha haver eu falar sobre algo que eu não tinha me proposta a fazer. Ou seja, Arte! Então lá vamos nós…

Primeiro, minhas desculpas para quem comentou no Post sobre as vaias do Pan, mas eu tive que deletar. Ele não tem nada haver com a idéia do Blog e assim teve que ser removido.

Segundo, a minha opinião como pessoa ainda é essa, pois é um pouco mais complexo do que falei ali e assim demandaria uma semana toda de posts para explicar tudo por completo.  Então Melhor assim. Ponto Parágrafo para essa estrofe.

Agora voltando para o caminho cheio de tanto de andar errado… Ainda com sol na cabeça pois a sombra ainda está longe, mas tudo bem… nada que não seja por merecimento.

Vamos então… devagar e com jeito agora…